Sustentabilidade

mundoA palavra SUSTENTÁVEL está cada vez mais presente no nosso cotidiano, e isso se deve a necessidade de preservar o MEIO AMBIENTE e garantir a existência de recursos naturais no futuro.

SUSTENTÁVEL – significa algo que possa suporta condições adversas e ainda assim ser constante, dessa maneira a sustentabilidade econômica significa retirar do meio ambiente sem esgota-lo.

A ABEC tem o foco nessa questão, porque sem uma iniciativa sustentável logo não haverá mais recursos no planeta, impossibilitando o equilíbrio do comercio internacional e pior ainda levando a extinção de plantas e animais ate o fim da humanidade.

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL – pode ser vista como um meio de abrandar e até de consertar, mesmo que lentamente os estragos provocados pelo desenvolvimento industrial.

E uma das maneiras de reverter o quadro de devastação é através da educação ambiental, que se passada corretamente, vai além da conservação do meio ambiente, proporcionando melhorias na qualidade de vida de todos nós.

planta

Assim vamos trabalhar por um mundo melhor. E buscar atenuar os malefícios que o nosso desenvolvimento vem causando ao nosso planeta. Existem muitas coisas que podemos fazer, a começar pela nossa casa, como a separação dos lixos, não desperdiçar os recursos naturais, consumo consciente, utilizar reciclados e cobrar do governo e empresários um conduta mais verde.

 

1)    Meio ambiente:

Com o grande crescimento populacional e industrial, o consumo e a demanda por riquezas naturais e minerais tem atingindo níveis cada vez mais críticos.

E com tanta exploração, é normal que o planeta responda de maneira agressiva, seja através de mudanças climáticas ou de outros desastres naturais.

Mas felizmente é possível reverter esse quadro através da sustentabilidade e educação ambiental, desde que todos os âmbitos da sociedade cooperem.

A ABEC tem levantado essa bandeira e convida a sociedade e abraçar a causa.

 

 

2)    Projetos sociais,

A ABEC tem em sua raiz o regaste do ser humano, da cidadania e do direito de ter uma vida digna.

Os nossos projetos sociais nascem com o desejo de mudar a realidade. Nossas ações são planejadas, estruturadas e intencionais. Nossa metodologia parte da uma reflexão e do diagnostico sobre um determinado problema e buscamos uma melhoria para o individuo.

palhaEntendemos que um projeto social não é realizado isoladamente, ou seja, não mudam o mundo sozinho. Estão sempre interagindo, através de diferentes modalidades de relação, com políticas e programas voltados para o desenvolvimento social. Um projeto não é uma linha.

Uma das finalidades de um projeto social, é juntar varias pessoas que pensem da mesma forma quanto a um problema para que assim, possam conscientizar todos a sua volta a fim de resolver ou melhorar.

 

 

3)    Usina de Lixo.

recicla

Estudos mostram que, no Brasil 63% das cidades ainda despejam o lixo e o entulho a céu aberto em aterros sanitários não controlados, popularmente conhecidos como lixões.

Sem nenhum tipo de controle, os lixões, alem de contaminarem o solo com os efluentes líquidos do lixo ( o chorume), também são responsáveis pela emissão do gás metano, proveniente da decomposição de resíduos orgânicos, e que é um dos gases causadores do Efeito Estufa..

Os benefícios que as usinas de reciclagem proporcionam são:

1 – Ambientais: porque transformam o que viraria lixo em novos materiais e ajudam a “economizar” os recursos naturais.

2 – Econômicos: porque o uso de resíduos reciclados nas construções pode ser 80% mais barato do que o uso de materiais convencionais.

3 – Sociais: porque através desses resíduos reciclados é possível levar calçamento, pavimentação e até projetos habitacionais para lugares carentes.

 lixo

Depois de todo o material recolhido, eles são separados para que possam dar origem a: artefatos de concreto, argamassa, pavimentação de estradas, controlar a erosão, preenchimento de fundações, etc.

Tudo em preços muito mais acessíveis do que os convencionais.

 

4)    Reciclagem de lixo – artesanato sustentável,

Camisetas e outras peças de roupas, depois de usadas, acabam indo para o lixo.

Isso, porém, não acontece com as peças que passam pelas mãos da estilista e designer americana Julia Vasic.

reciclagensCom passagem por grifes como Michael Kors e Victoria’s Secret, ela está usando tecidos descartados como base para a produção de joias (foto).

Para incrementar o valor de pulseiras e colares da coleção, Julia inclui nas joias alguns detalhes em ouro e pedras preciosas.

Design – Óculos irados

O skate não precisa ir para o lixo quando acaba sua vida útil.

Pelo menos é o que propõem as grifes EQO Optics, do Colorado, e a Vuerich, de Barcelona, que usam as tábuas descartadas, também conhecidas como shapes, na produção de armações de óculos (foto).

Elas são à prova d’água, leves e têm um jeitão estiloso. A matéria-prima é recolhida com os skatistas dessas cidades. 

 

Tecido – Jeans ecológico

 

Símbolo de rebeldia nos anos 1970, o jeans ganhou uma versão sustentável.

tecidoO tecido é feito com uma mistura de seda, pet e algodão.

Sua produção também dispensa a lavagem, o que economiza 80 litros de água por peça, segundo a empresa paranaense O Casulo Feliz, que fabrica o produto.

Grifes como Osklen e Animale estão entre os clientes. 

 

Moda  – Roupas ecológicas 

 

A tecelagem paulista EcoSimple encontrou na reciclagem de fios um modo sustentável de produção e uma forma de ingressar no disputado mercado de moda.

Seus tecidos são feitos a partir de roupas e retalhos descartados e o processo não inclui aditivos ou corantes químicos.

Graças à pegada ecológica, a empresa conseguiu firmar parcerias com destacados estilistas, como Alexandre Herchcovitch, que usou os tecidos (foto) em algumas de suas criações para a última edição do São Paulo FashionWeek. 

 

Desperdício em alta 

 

O Brasil está deixando de arrecadar uma fortuna em função da negligência na adoção de programas de reciclagem de lixo.

Pesquisa do IBGE mostra que 30% dos domicílios já fazem a separação do lixo.

No entanto, apenas 40% desse montante vai para projetos de reciclagem.